O Desafio dos Serviços em Nuvem e o Papel Vital do FinOps na Eficiência Financeira


Na atual era digital, a adoção de serviços em nuvem tornou-se um impulsionador essencial da inovação empresarial e da agilidade operacional. No entanto, esse avanço tecnológico tão poderoso também apresenta um desafio significativo: o potencial de transformar os serviços em nuvem em um "cheque em branco" para as empresas usuárias, onde os custos podem escapar sem controle e surpreender no final do mês. É neste ponto que os centros de dados desempenham um papel crítico como assessores estratégicos, ajudando seus clientes a navegar pelas complexidades da nuvem de maneira eficiente e rentáve

A gestão de recursos na nuvem tornou-se mais do que uma simples questão técnica; agora é uma questão financeira crucial. É aqui que entra o FinOps, o framework operacional que abraça as melhores práticas da indústria para alcançar eficiência financeira no ambiente de nuvem. Neste artigo, exploraremos como o FinOps se tornou o aliado indispensável das empresas que buscam tirar o máximo proveito dos serviços em nuvem sem incorrer em gastos desnecessários. Descobriremos como a colaboração entre os centros de dados e seus clientes, apoiada pela abordagem do FinOps, está pavimentando o caminho para uma gestão financeira mais inteligente e estratégica no mundo da tecnologia em nuvem, além de qual é o futuro do FinOps e o papel que a inteligência artificial desempenhará em sua operação..

O que é FinOps?

FinOps, abreviação de "Financial DevOperations" (Operações Financeiras de Desenvolvimento e Operações em português), é uma disciplina emergente no mundo da tecnologia e gestão empresarial. Seu foco principal está na gestão financeira de recursos na nuvem, combinando eficientemente tecnologia, finanças e estratégia empresarial..

Ao contrário da abordagem tradicional no ciclo de vida do desenvolvimento de software, conhecido como o modelo "Waterfall", onde os departamentos de desenvolvimento e operações geralmente trabalham de forma isolada, o DevOps representa uma filosofia que funde as etapas de Desenvolvimento (Dev) e Operações (Ops). Essa combinação busca oferecer uma abordagem colaborativa e simplificada na entrega de software. Ao aproveitar tecnologias como a nuvem, Infraestrutura como Código (IaC), Contêineres e outras, as equipes de desenvolvimento obtêm uma notável flexibilidade e agilidade. Os desenvolvedores agora têm a capacidade de provisionar rapidamente recursos de infraestrutura em grande escala por meio do uso de scripts ou ferramentas de automação, o que pode resultar em gastos desnecessários na nuvem. Esse contexto deu origem ao FinOps, uma disciplina que introduz uma nova abordagem para otimizar a entrega de software, focada na eficiência de custos e na transparência financeira..

Em sua essência, o FinOps tem como principal objetivo otimizar o valor empresarial em ambientes de nuvem híbrida e multicloud. Ele faz isso ao fornecer uma estrutura sólida para o controle de custos, transparência e tomada de decisões informadas em relação aos gastos na nuvem. Através da implementação de práticas de FinOps, as organizações podem alcançar um equilíbrio crucial entre a velocidade de implementação, os gastos e a eficácia operacional..

Em um mundo onde a adoção da nuvem continua crescendo exponencialmente, o FinOps tornou-se um aliado essencial para as empresas que buscam gerenciar efetivamente seus investimentos na nuvem, controlar custos e garantir que cada gasto esteja alinhado com os objetivos estratégicos. Portanto, o FinOps representa a convergência da tecnologia e das finanças para otimizar o desempenho e a rentabilidade na era da nuvem.

Como disciplina em crescimento e uma norma cultural na gestão financeira em nuvem, busca otimizar o valor corporativo em sistemas de nuvem híbrida e multicloud. O FinOps enfatiza a necessidade de colaboração entre equipes de TI, finanças e negócios para levar a responsabilidade financeira para a nuvem e gerenciar os equilíbrios entre velocidade, gasto e eficácia. 

Em poucas palavras, o interesse na computação em nuvem continua alto, mas tornou-se evidente que uma mudança na gestão financeira de TI é necessária como resultado da adoção de arquiteturas multicloud sofisticadas e do correspondente aumento de custos. O FinOps tornou-se a disciplina de gestão preferida para empresas que desejam reduzir custos ao mesmo tempo que maximizam os retornos de seus gastos na nuvem..

Os desafios da gestão na nuvem são diversos e podem incluir:

Devido à crescente demanda no mundo tecnológico corporativo por serviços em nuvem, os preços desses serviços têm experimentado um aumento inevitável.

O aumento na demanda e, consequentemente, nos gastos por parte das empresas pode ser observado através do seguinte gráfico:


Este aumento na demanda tem levado a um aumento nos custos operacionais das empresas que dependem amplamente da infraestrutura na nuvem para conduzir suas operações. Como resultado, as organizações têm enfrentado vários desafios na gestão de seus recursos na nuvem..

Para esclarecer, um artigo deCIO.COM  informou que, de acordo com o relatório da HashiCorp-Forrester, 94% dos entrevistados estão gastando excessivamente na nuvem.

Esta situação apresenta um desafio significativo em termos de rentabilidade para as empresas que utilizam serviços em nuvem. Para compreender melhor esse cenário, consideremos o "compromiso de gasto" (committed spend) na nuvem, que ocorre quando uma organização decide comprometer-se com certos recursos na nuvem a longo prazo, seja por um ou três anos, obtendo em troca descontos substanciais. Em outras palavras, é como se estivesse fazendo um pedido antecipado, e o provedor de nuvem, ao garantir o compromisso, recompensa com descontos significativos..

O desafio reside em determinar em que medida as organizações estão aproveitando essa estratégia de gasto comprometido. Quando uma empresa consegue planejar seu consumo na nuvem e se comprometer com recursos a longo prazo, ela pode obter descontos consideráveis. No entanto, para avaliar adequadamente a rentabilidade, é essencial compreender como esses gastos comprometidos se relacionam com as receitas geradas pelos custos associados.

A seguir, o gráfico apresenta o gasto comprometido anualizado estimado em nuvem como uma porcentagem dos rendimentos por custos



Para validar ainda mais, de acordo com a IBM, "Os custos na nuvem estão em alta, afetando as margens de lucro, receitas e custos totais dos bens vendidos. À medida que as organizações crescem, alcançar a eficiência torna-se imperativo.

Em um relatório recente do Instituto IBM para o Valor Empresarial, 79% dos interessados indicaram que suas estratégias digitais prioritárias exigem capacidades avançadas e abrangentes na nuvem. Muitas empresas mudaram seu foco para uma abordagem híbrida de várias nuvens para aproveitar os benefícios da nuvem..

Como resultado, a IBM apresentou a seguinte tabela que oferece orientação sobre como gerenciar e lidar com os crescentes custos na nuvem, com o FinOps ocupando um lugar central, especialmente no enfoque a longo prazo.

 De acordo com a tabela anterior, o FinOps é fundamental para as empresas, pois os CIOs enfrentam condições extremamente difíceis devido ao aumento nos gastos em nuvem e à diminuição do valor, destacando as limitações de uma estratégia tradicional para gerenciar as finanças e aquisição de TI. A abordagem na nuvem deve se concentrar na aquisição e uso de serviços por hora ou até mesmo por segundo, em vez de programar o capital e o orçamento a cada três meses. A economia da empresa já mudou no momento em que a equipe financeira de TI se senta à mesa. A supervisão financeira é uma parte integral da tomada de decisões econômicas da empresa no novo ambiente de nuvem híbrida. Já não é eficaz que as equipes de infraestrutura, crescimento e finanças de TI operem em divisões separadas.

En consequência, "FinOps torna-se essencial, pois estabelece processos, cultura e novos hábitos, ao mesmo tempo em que proporciona uma visibilidade completa para todas as nuvens. Com o FinOps, entram em cena as métricas operacionais e os resultados comerciais. Primeiramente, trata-se de evitar custos e, em seguida, otimizar

Sem mencionar, infelizmente, perceber as vantagens da adoção da nuvem e torná-las realidade é mais complicado. Para começar, aproximadamente um terço dos gastos na nuvem é perdido em recursos inativos ou subutilizados, o que neutraliza os benefícios financeiros..

Os benefícios de adotar o FinOps

A implementação de uma estratégia de FinOps na infraestrutura em nuvem oferece uma série de vantagens significativas que vão além da eficiência e do controle de custos. Esses benefícios estão intrinsecamente relacionados à maneira como uma organização se relaciona com seu negócio e toma decisões financeiras estratégicas.

  • Redução de custos mensais: O FinOps permite reduzir o custo mensal de um sistema ou solução adotada, otimizando os gastos na nuvem.
  • Melhoria na eficácia dos serviços em nuvem: A estratégia do FinOps também contribui para melhorar a eficácia dos serviços fornecidos pelo provedor de nuvem, garantindo um desempenho ótimo.
  • Visão detalhada do uso e despesas: Fornece uma visão detalhada do uso e despesas na nuvem, facilitando a criação de orçamentos e projeções mais precisos..
  • Prevenção de aumentos futuros de despesas: Ao estar ciente da gestão de custos e das normas do mercado, o FinOps ajuda a prevenir possíveis aumentos futuros de despesas.
  • Aceleração na provisão de bens e serviços: Agiliza a provisão de bens e serviços, resultando em uma entrega mais rápida de soluções..
  • Melhoria da transparência financeira e segurança: O FinOps melhora a transparência financeira e a segurança da organização, proporcionando um maior controle sobre os custos na nuvem..
  • Relação com o negócio: O FinOps não trata apenas de reduzir custos, mas de como uma organização se relaciona com seu negócio. Essa estratégia permite que as empresas acompanhem de maneira eficaz suas operações na nuvem e tomem decisões financeiras sólidas com base em seus objetivos empresariais. Trata-se de otimizar o investimento na nuvem para obter resultados mais rápidos e rentáveis..
  • Previsão e Orçamento: O FinOps inclui práticas sólidas de previsão e orçamento, o que significa que as empresas podem planejar seus investimentos na nuvem de maneira mais precisa. Isso se traduz em uma tomada de decisão mais informada e estratégica, pois as organizações sabem exatamente quanto estão investindo e quais resultados esperar..
  • Distribuição de despesas: A estratégia do FinOps aborda a alocação de despesas, o que significa que os custos podem ser alocados de maneira eficaz para as áreas ou equipes que utilizam recursos na nuvem. Isso proporciona uma maior transparência na gestão de custos e permite uma alocação mais justa das despesas..
  • Economia Unitária na Nuvem: Aqui é onde entra o conceito de Economia Unitária na Nuvem. Essa métrica permite quantificar quanto do investimento na nuvem se traduz diretamente em receitas. Em outras palavras, mostra como o investimento na nuvem contribui para os resultados financeiros da organização. Isso significa que não se trata apenas de reduzir custos, mas de investir de maneira mais inteligente e fundamentada..
  • IInvestimento Fundamentado: Em última análise, o FinOps trata de investir com fundamento. Significa que uma organização pode afirmar com confiança que está migrando para a nuvem de maneira mais rápida e rentável, não apenas reduzindo custos, mas fazendo investimentos estratégicos que impulsionam o crescimento e a eficiência.

É importante destacar que, segundo a McKinsey & Company, as empresas que utilizam o FinOps podem reduzir seus custos na nuvem em 20-30%, representando uma economia significativa, especialmente nas condições econômicas atuais. Sem a equipe adequada, essa modificação não pode ser realizada. Uma pesquisa da McKinsey & Company revelou que frequentemente faltam conjuntos de habilidades críticas nas equipes de FinOps. A experiência em análise preditiva é fundamental para equipes de FinOps eficazes. Com o uso dessas habilidades, elas podem prever a demanda, calcular a economia unitária do uso da nuvem, otimizar o uso de recursos e influenciar a mudança de comportamento organizaciona.

Princípios Fundamentais do FinOps 

A Fundação FinOps estabeleceu seis princípios orientadores para os procedimentos de FinOps

Estes são os seguintes::

  1. As equipes devem trabalhar juntas em tempo real para inovar continuamente e aumentar a produtividade..
  2. EO valor comercial da computação em nuvem influencia as decisões..
  3. Todos são responsáveis pelo seu uso da nuvem..
  4. Os dados de FinOps devem ser oportunos e acessíveis..
  5. FinOps é gerenciado por um pessoal centralizado
  6. proveitar os benefícios da abordagem de custos variáveis da nuvem.

Implementação prática do FinOps

As empresas utilizam o ciclo de vida do FinOps, que consiste em três fases iterativas, para monitorar eficientemente suas finanças na nuvem. Essas etapas incluem::

  1. Informar: A fase inicial do ciclo de vida do FinOps, que fornece às empresas e equipes acessibilidade, distribuição, comparações, gestão financeira e projeções, já está em andamento. Durante a fase de Informar, as empresas obtêm acesso à sua utilização da nuvem, permitindo que tomem decisões com base em dados precisos e atuais. A alocação adequada de custos na nuvem com base em etiquetas, orçamentos ou mapeamentos empresariais permite a contabilização adequada e o feedback.
  2. Otimizar: Durante esta fase, as empresas começam a avaliar regularmente seus objetivos comerciais, os indicadores que estão monitorando em relação a esses objetivos e as tendências nesses indicadores. Elas avaliam a alinhamento com os objetivos comerciais com base na eficiência, eficácia e gastos. Ao gerenciar suas finanças na nuvem de maneira colaborativa, a fase de Otimizar ajuda as empresas a maximizar o valor de seus investimentos na nuvem..
  3. Operar: Para garantir que as empresas estejam alcançando seus objetivos comerciais, a fase de Operar envolve uma otimização e análise contínuas do uso da nuvem. Nesta fase, as empresas aproveitam a estrutura de custos variáveis da nuvem para otimizar seus gastos na nuvem de acordo com suas necessidades.s.


Dependendo da carga de trabalho ou do departamento envolvido, as empresas podem passar por algumas ou todas as fases do ciclo de vida do FinOps ao mesmo tempo. Processos iterativos como o ciclo de vida do FinOps devem ser continuamente melhorados para avançar..

Além disso, também é vital destacar que as habilidades dentro das equipes de FinOps são essenciais para obter resultados eficazes, como mostrado na figura abaixo.



O estado atual do FinOps

O FinOps continua sendo amplamente utilizado por empresas em todo o mundo, incluindo a maioria das Fortune 50, permitindo que equipes multifuncionais tirem o máximo proveito da nuvem. As equipes de FinOps estão na vanguarda quando se trata de maximizar o retorno do investimento em serviços na nuvem em momentos em que os mercados globais enfrentam dificuldades..

Além disso, parece que os trabalhadores independentes também estão investindo consideravelmente em FinOps, como mostrado na figura relevante abaixo.


Além disso, é importante destacar que a composição das equipes de FinOps vai além do nível de maturidade organizacional. Do ponto de vista dos gastos na nuvem, observa-se que a participação de consultores externos permanece relativamente constante em todos os níveis de gasto anual. No entanto, onde surgem diferenças significativas é na presença de contratados dedicados, que tende a ser mais notável em níveis de gasto mais elevados. Isso pode sugerir tanto uma estrutura empresarial específica quanto a necessidade de um maior investimento nesta área para abordar eficazmente os desafios associados aos custos na nuvem em grande escala..

Neste contexto, é fundamental reconhecer que vários atores desempenham papéis cruciais no sucesso das operações de FinOps. Além das equipes técnicas responsáveis pela configuração da infraestrutura na nuvem, os departamentos de Compras desempenham um papel vital na aquisição e gestão eficiente de recursos na nuvem.

Não menos importante são os Product Owners, que representam as equipes ágeis e atuam como donos das iniciativas. A filosofia do FinOps destaca a importância de reunir todos esses atores-chave em uma colaboração eficaz. Isso envolve não apenas a interação entre as equipes técnicas e financeiras, mas também a incorporação das equipes de compras e dos Product Owners, bem como a participação ativa de arquitetos que podem contribuir com uma visão estratégica abrangente. A sinergia entre esses diversos departamentos e equipes é essencial para o sucesso das práticas de FinOps e para alcançar uma gestão eficiente dos custos na nuvem na era atual.l.

AAgora, ao aprofundar na gestão financeira da nuvem, surge um conceito-chave: a economia unitária da nuvem. Este termo refere-se à capacidade de detalhar e quantificar quanto da receita gerada por uma operação específica corresponde aos custos relacionados à nuvem. Em outras palavras, permite identificar quanto do investimento na nuvem se traduz diretamente em receitas, sendo fundamental para avaliar a rentabilidade das operações na nuvem em relação aos compromissos de gastos. Essa análise detalhada fornece uma visão precisa de como os investimentos na nuvem contribuem para os resultados financeiros da organização e permite decisões mais informadas e estratégicas na gestão de custos na nuvem..

No entanto, apesar da importância crítica da economia unitária da nuvem, um relatório da McKinsey & Company apresenta um desafio significativo: "apenas 15% das empresas têm um entendimento suficiente da economia unitária da nuvem", como mostrado na figura abaixo: Ilustração 7 Apenas 15% das empresas têm um entendimento suficiente da economia unitária da nuvem..